quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Reset neck em violão



Reset neck é um método que usamos para corrigir o ângulo do braço do instrumento. Calculando o espaço a ser corrigido, o braço do violão é descolado, retificando a sua base na medida exata e depois colado novamente no lugar.

Violão com cordas muito altas prejudica e muito a tocabilidade, as vezes tornando até mesmo impossivel executar as notas na escala de tão ruim que esta.

Porque as cordas podem ficar altas no violão ?

Por varios fatores, principalmente em instrumentos antigos. Com o passar dos anos, a tensão das cordas tende a fazer com que o instrumento comece a se entortar, em um efeito conhecido como "arco" conforme o desenho tosco que eu fiz para tentar explicar melhor:


 A primeira coisa que fazemos para baixar a ação das cordas e amaciar a tocabilidade do violão é lixar a base do rastilho, metodo este que todos usam. Mas as vezes isto não basta, então é necessario corrigir a ação do tensor, apertando-o.

 E quando o rastilho ja está muito baixo e o tensor apertado no último mas as cordas continuam altas ?


Quando todas as possibilidades de baixar a ação das cordas se esgotaram, então partimos para o ultimo recurso : O reset neck !!!

Mas antes temos que levar em consideração varios outros fatores que podem fazer com que seu violão esteja empenado em forma de arco: tensor quebrado, leque harmônico X descolando, ausência de tensor (acontece muito nos violões antigos principalmente nacionais) etc. É importante que leve seu instrumento a seu luthier de confiança para que este possa avaliar qual a causa e possível solução do problema. 

Como saber se o seu violão precisa de um reset neck ?

É um método simples, coloca se uma régua em cima da escala do violão, de preferência sem as cordas e com o tensor ajustado deixando o braço o mais reto possível. A base da régua deve encostar no topo do cavalete, de preferência este sem o rastilho. Se a ponta da régua encostar abaixo do topo do cavalete é sinal que o braço deve ser reajustado (reset neck).

 O topo da escala deve estar no mesmo nivel do topo do rastilho, como podemos observar na foto abaixo:

Mas se o braço ja esta desalinhado, a régua vai ficar abaixo do topo do rastilho:
 Estando desta forma, será necessário o reset neck como ultimo recurso.



Existe também um outro método que seria lixar o cavalate, retirando material para que este fique mais fino, acompanhando o nivel da escala, mas não recomendo pois pode prejudicar muito o timbre do violão.

Ocasionalmente tenho aqui um violão Aria fabricado no japão em 1986. Um violão de 30 anos, pode imaginar que este apresente este problema de cordas altas.

Primeiramente foi restaurado o headstock que sofreu uma fratura, como pode acompanhar nesta outra postagem : Reparo headstock - Violão Aria Japan

As cordas estavam bem altas, então baixamos o rastilho no último estágio, inclusive abrindo algumas ranhuras a fim de evitar que as cordas encostem na madeira do cavalete


A ação estava aceitavel para um violão de caixa grande, com 2.7mm de altura entre a 6 corda e o topo do 12° traste, e 2.3 na 1 corda mizinha.


Mas eu sou um cara que gosto das coisas o mais perfeitas possiveis, e este rastilho não estava me agradando, sem contar que o timbre estava estranho.. O tensor apertado no ultimo e em dias frios bastante trastejamento então resolvi pela primeira vez fazer o tal reset neck



Depois de muito pesquisar, inúmeros vídeos, principalmente vídeos gringos então fui atrás das ferramentas necessárias:




Panela velha é que faz comida boa kkkk, no caso aqui também serve para descolar braço de violão

 Aí esta minha "needle injection", que deveria ser maior mas tudo bem funcionou tranquilo :)

 Para entender melhor esse lance do vapor de água na panela de pressão eu vou deixar o link de um video gringo mostrando esse processo no final deste post.


Primeiro passo é cortar o acabamento nas juntas com uma lamina fina tipo bisturi ou estilete também serve, pois na hora de descolar não vai trincar o verniz do acabamento do violão evitando assim qualquer dano indesejado.



 Agora é a vez do ferro de passar roupa entrar em ação rsrsrs, não devemos aplicar demasiado calor a fim de evitar danificar a escala ou o tampo do violão. Usei um jornal para transferir ligeiramente o calor do ferro para descolar a escala nessa região do braço.


Nesta etapa usamos as espátulas previamente aquecidas para facilitar o trabalho


Pode notar que o 15º traste é retirado e guardado, em seguida furamos exatamente no slot do traste, pois é nessa região que se encontra a junção do corpo/braço do violão. O furo é onde vai entrar a agulha com vapor de água quente, amolecendo a cola e então procedemos a retirada do braço.

Mas um incidente trágico aconteceu ... A broca quebrou dentro da escala !!! Ai meu Deeeuuuss e agora ???

Usei uma broca de um diâmetro um pouco maior a fim de tentar retirar o pedaço da broca menor que ficou lá dentro da junção.. O problema é que não encontrei a junção, só um bloco sólido de madeira, e ao mudar o ângulo de furo acabei quebrando a segunda broca dentro do bloco.. PUTA QUE O PARIIUUUU !!!!  Fiquei branco, depois azul, depois amarelo de tanto nervoso e suando frio.. E agora estraguei todo o trabalho o que fazer ???

Manter a calma...  Sim, terei que remover uma parte da escala, para ser mais exato no 13° traste


Agora deve ser feito um micro corte, para separar este pedaço da escala. Usei um bisturi com uma lâmina de aproximadamente 0.0025mm por que ?

O corte deve ser menor para manter o slot do traste na medida original, pois na hora de re-colar esta parte se o corte for muito largo vai dar erro na medida, o traste não vai entrar ou vai ficar solto no rasgo, isso pode colocar todo o trabalho por água abaixo. Segue outro desenho para tentar explicar melhor esse lance do micro e cirúrgico corte de escala:



A males que vem para o bem...


Ufa.. cirurgia concluida com sucesso até agora.. Mas espere.. Repare na foto.. Onde esta a junção ???

Sorte que eu retirei esse pedacinho da escala, pois colocaria o vapor na região errada..

Eu esperava que a junção fosse algo parecido com isso aqui:





O problema é que existem vários tipos de junções de corpo/braço "neck joint" .. Eu separei alguns aqui para mostrar:








E a junção do violão em questão é diferente de todas estas outras...

Coisa de Japonês ...

Descobri que esse tipo de junção é a mesma dos violões Washburn vintage MIJ.. Feita com pinos de madeira..
Então tive que retirar alguns com todo cuidado e descolar o braço, deu um trabalhão danado !!!!

Como fiz tudo sozinho, no meio da empolgação acabei esquecendo das fotos desta etapa do trabalho, mas resumindo eu resolvi deixar os pinos superiores, com um calço em duraluminio para reforçar a junção, e um parafuso inferior, convertendo o violão para o sistema bolt neck, como os violões Taylor americanos.. No meu ponto de vista esse sistema ficou muito melhor pois agora posso ajustar o ângulo do braço, facilitando até retirar novamente caso seja preciso.

Depois foi só retirar material para fazer o ângulo exato para que fique tudo certo, colar parcialmente o braço e o resto fica por conta do parafuso de ajuste.

Por ultimo foi só colar novamente o pedaço da escala.


Nossos métodos de colagem são sempre os mais precisos hehehe


Depois de pronto ficou assim :


Os trastes originais são recolocados novamente no lugar


 Repare que o braço ficou em um ângulo perfeitamente reto


 Colocando a régua podemos ver que ficou perfeitamente alinhado escala/cavalete, como deveria ser :)



 Olhando de perto, o acabamento ficou perfeito, dificil notar os buracos feitos anteriormente.


O acabamento lateral também ficou bom.


 Se reparar podemos ver a tampa do parafuso para ajustar o braço




Agora vem a parte das cordas e teste de entonação. Foi feito um rastilho provisório bem alto para já ter uma noção de medidas e confecção do rastilho definitivo.


Partimos para confecção do rastilho definitivo


O material é novo e esta branquinho, o problema é que as outras partes do violão brancas ja estão amareladas com o tempo, então usa se uma técnica para envelhecer cosméticamente o material.



Perceba a foto acima a diferença tom de cores.. Na foto abaixo o rastilho já envelhecido artificialmente:


Ficou igual não é ? Comparando com o material original logo abaixo. O interessante é fazer logo 2 rastilhos.


Um rastilho deixei mais baixo, pois ficará no limite da regulagem, o outro um pouco maior caso seja necessário e acredito que será rsrsrs.

Coloquei primeiramente o rastilho mais baixo:




Ja deu para perceber a diferença heim hehehe. Este é um rastilho de um tamanho saudável. Um rastilho saudável deve medir entre 2.5 mm a 4.5mm no topo entre as cordas D e G. Vamos analisar:



Ficou uma altura boa, 2.7mm...

Vamos ver agora a ação das cordas, com que altura ficou:


Realmente muito baixa a ação, com 2.2 mm de altura entre o  12° traste e a 6ª corda mizona


E a medida da mizinha ficou assim:

Com 1.5 mm de altura entre o 12° traste e a 1ª corda mizinha



Considerações

A tocabilidade ficou realmente muito macia, as cordas muito baixas e sem trastejamentos. O tensor está com torque 0 apenas com o parafuso no final do curso para não ficar solto, pois é um tensor antigo barra simples e o encordamento é 0.10 tensão leve. O braço se manteve perfeitamente reto e estável.

Mas para o meu gosto ficou muuuiito baixo, então resolvi aumentar um pouco o rastilho.. Viu como foi bom fazer 2 rastilhos hehehe.

Segue o segundo rastilho instalado:



Este sim um rastilho saudável :)  vamos as medidas:

 4.5 mm no topo hehehe.

Vamos a ação das cordas:

 Agora sim ficou exatamente como eu queria, com 2.5 mm de altura entre o  12° traste e a 6ª corda mizona

 E na mizinha ficou assim:
 1.8 mm  o/   hehehe


Conclusões finais:

Fiquei realmente muito satisfeito com o resultado final, um trabalho muito difícil e delicado mas que valeu muito a pena.

O timbre ficou muito mais encorpado e um pouco mais alto. Os graves ficaram mais realçados e nas cordas primas ganhou mais brilho. Esse violão tem um som muito bacana mesmo.

Quanto ao tocar ja nos primeiros acordes percebi maior vibração na caixa acústica do violão estando este encostado junto ao meu corpo. Também notei maior projeção no som e maior definição nas notas.

Para efeito comparativo, o rastilho antigo de antes do reset, com ação de 2.7 e o rastilho novo depois do reset, com ação de 2.5 na 6ª corda:


Violão Aria made in Japan


Este vai ficar comigo hehehe


Então.. Como prometido segue um video gringo do youtube explicando o processo do reset neck, utilizando o vapor de água na panela de pressão para descolar o braço. É interessante ver o video inteiro caso haja duvidas sobre o processo, mas se tu é uma pessoa muito apressada então pode colocar o video a partir do 12:00 Min. em diante, que vai mostrar a parte que é injetado o vapor na junção.















2 comentários:

  1. Legal. Mais uma opção para este tipo de problema. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valew Braga, saudações da G-Marx guitars e bons trabalhos ai pra ti, abraço.

      Excluir